Como medir o potencial de liderança de um profissional? Entenda mais

9 meses atrás - por: Redator Grou

Compartilhe:

Todo empreendimento precisa de bons líderes, afinal, são eles que alinham e engajam as equipes de trabalho. Todavia, não basta buscá-los no mercado, é preciso olhar para dentro da própria empresa e avaliar aqueles que possuem competência para uma posição de comando.

O grande dilema é entender como medir o potencial de liderança de um profissional e, embora apresentar bons resultados seja um sinal, ainda não é o suficiente. A prova disso é que muitos técnicos, excelentes no que fazem, deixam a desejar quando chegam ao comando.

Pensando nisso, criamos um guia para você descobrir como medir o potencial de liderança de um profissional, aproveitando aqueles que já estão dentro da empresa. Então, continue a leitura e fique por dentro do assunto!

Não busque por traços específicos de liderança

Por muito tempo, vingou a teoria dos traços da liderança, a qual afirma que todo coordenador possui um conjunto de características que o torna apto para uma posição de comando. A teoria ainda diz que todo líder nasce pronto, sendo impossível desenvolvê-lo.

Alguns estudiosos chegaram a definir aspectos de personalidade, aspectos físicos (altura, forma física) e intelectuais para identificar os líderes. Essa estratégia, claro, não foi bem-sucedida e, hoje, sabe-se que uma grande liderança pode vir de onde menos se espera.

É possível que as pessoas mais comunicativas — traço importante do líder — não saibam lidar com momentos de crise. Enquanto as mais introvertidas, tenham mais facilidade em delegar tarefas e assumir responsabilidades nos momentos devidos. Então, como identificar bons líderes?

Use a ferramenta “os 4 colaboradores de Jack Welch”

Se perguntar a um grupo de executivos qual a maior obrigação de um líder, provavelmente vão responder que é “entregar resultados”. Isso de fato é importante, contudo, também é preciso considerar os valores.

Jack é ex-CEO da General Eletric, e para identificar profissionais que mereciam ser promovidos — inclusive a cargos de comando — ele relacionava dois principais fatores: os resultados e os valores. Segundo o Welch, existem quatro tipos de profissionais:

  1. que entregam resultados e abraçam valores da empresa;

  2. que não entregam resultados e abraçam valores da empresa;

  3. que entregam resultados e não abraçam valores da empresa;

  4. que não entregam resultados e nem abraçam valores.

Os tipos de profissionais 2, 3 e 4 devem ser devidamente direcionados na companhia, seja em termos de treinamento ou desligamento. Já o 1, que entrega resultados e abraça valores, tem um grande potencial de crescimento e sucesso. Então, invista nele!

É possível mensurar os resultados entregues com a ajuda das metas, métricas e dos indicadores de desempenho — como nível de absenteísmo. Também é preciso avaliar os colaboradores em cada valor da empresa, atribuindo notas de 0 a 10, sendo zero extremamente insatisfatório. De preferência, essa relação deve ser feita pelo superior imediato do colaborador.

Observe a paixão do profissional pelo trabalho

Muitos dos maiores líderes são apaixonados pelo que fazem, então, considere esse um importante aspecto. É realmente possível identificar os profissionais com esse perfil e, também, aqueles que trabalham apenas por dinheiro. No entanto, os primeiros reclamam muito menos.

Há uma ferramenta que também pode ajudar a fazer esse diagnóstico: o E-NPS. Ela consiste em apenas uma questão, chamada de “a pergunta definitiva”, para avaliar os profissionais que realmente vestem a “camisa” da empresa. Confira:

  • “Em uma escala de 0 a 10, sendo zero o menor e pior valor, o quanto indicaria nossa empresa como um bom lugar para trabalhar?”

Com as respostas, será possível identificar profissionais detratores (0-6), neutros (7-8) e promotores (9-10), aqueles que realmente são apaixonados pela empresa e pelo que fazem.

Entretanto, é preciso levar em consideração as condições da própria organização. Se o ambiente de trabalho não for adequado, deixando a desejar em questões de salubridade, mesmo os profissionais mais apaixonados reclamarão.

Ofereça mais feedback e observe o profissional

É certo que uma das maiores qualidades de um líder é sua capacidade de se comunicar com outras pessoas. Estima-se que um gerente, por exemplo, passe a maior parte do seu dia se comunicando, seja com os clientes, fornecedores ou com os funcionários do negócio.

Contudo, é preciso lembrar que se comunicar não é apenas ter eloquência para falar — afinal, muitas pessoas são ótimas nisso. É igualmente importante a aptidão para ouvir. Então, na hora de buscar um líder, atente-se àqueles que sabem receber feedback.

Marque reuniões individuais com os profissionais e fale sobre os seus pontos fortes e fracos, indicando os hábitos que precisam ser melhorados ou eliminados por completo. Depois, monitore aqueles que realmente ouviram e evoluíram. Esses sabem ouvir!

A verdade é que a maioria das pessoas ouve no intuito de oferecer uma resposta momentânea, enquanto os líderes ouvem para entender e melhorar. Nesse sentido, surge outra grande característica do profissional com aptidão para liderar: sua empatia pelos colegas.

Analise o perfil comportamental do colaborador

Fazer uma profunda análise apenas por observação é quase que impossível, até mesmo para os maiores psicólogos e profissionais de RH. Porém, é certo que o comportamento de um profissional está diretamente ligado à sua aptidão para exercer a liderança.

Por essa razão, é cada vez mais comum a utilização de tecnologias específicas para análise de perfil comportamental. Essas ferramentas cruzam uma dezena de perguntas estratégicas no intuito de gerar relatórios e gráficos que ofereçam uma análise mais precisa e completa sobre cada colaborador, de forma ágil e segura. No final, é possível analisar pontos como:

  • paciência;

  • influência;

  • iniciativa;

  • determinação;

  • dinamismo.

Ao cruzar as respostas de cada profissional também é possível analisar seu nível de inteligência emocional, ou melhor, se consegue se manter racional diante de momentos complexos, como uma crise financeira ou conflitos intergrupais na empresa.

Veja, agora você está por dentro do assunto! Lembre-se que não há traços predeterminados para dizer se um profissional pode ser líder ou não, como se pensava antes. Contudo, questões como inteligência emocional, paixão e as outras já citadas devem sempre ser consideradas.

Gostou do conteúdo? Já sabe como medir o potencial de liderança de um profissional? Agora, aproveite para aprender como fazer um bom plano de carreira!

Por: Redator Grou

Especialista em Recursos Humanos e Gestão de Pessoas. Ama o mundo corporativo, tecnologias e está sempre antenado as tendências de mercado.

posts do autor

Junte-se a nós e receba conteúdos e dicas incríveis para ter sucesso em seus negócios

Fale com a gente.