Desenvolvimento de carreira: por que você é cada vez mais responsável pela sua?

10 meses atrás - por: Mariana Uebel

Compartilhe:

O conceito de autorresponsabilidade é intrínseco ao ser humano, porém, o ambiente corporativo nos oferece circunstâncias que funcionam como justificativas para insucessos. Assim acontece no desenvolvimento de carreira. Pensamos que nosso sucesso habita em uma eventual oportunidade, que pode nunca aparecer.

Ao ficar esperando por chances no mercado de trabalho, na empresa e na vida, perdemos um precioso tempo que seria melhor aproveitado no planejamento da carreira, capacitação, autodesenvolvimento e busca ativa por resultados.

Para entender esses conceitos é preciso desenvolver uma visão plena de sua carreira, considerando seu ponto de partida, o lugar onde está hoje e onde quer chegar. Esses são alguns dos ingredientes do mindset da autorresponsabilidade.

Mas onde entra o RH nesse processo? Como a gestão de pessoas pode influenciar? Formulamos essas perguntas para oferecer, neste artigo, 5 passos que ajudarão em seu desenvolvimento de carreira — e no de muitos outros.

1. Autoconhecimento

Só confiamos em quem conhecemos, por isso o autoconhecimento potencializa a autoconfiança e nos leva a diferentes patamares. Por essa prática, identificamos nossos pontos fortes e aqueles passíveis de melhoria, nos aperfeiçoamos e reforçamos nossas habilidades.

O profissional do futuro será procurado pelo mercado por características indispensáveis que o posicionarão à frente da concorrência, e tal evolução passará necessariamente por esse caminho.

Mas o autoconhecimento traz outra vantagem exclusiva: minimizar o veneno de críticas destrutivas e ajudar a assimilar as construtivas. Ao receber um feedback, o profissional que se conhece conseguirá filtrar o conteúdo, assimilá-lo e aproveitá-lo para seu crescimento.

O autoconhecimento auxilia na identificação de competências comportamentais existentes no profissional, e também das competências ausentes, mas essenciais. Compreender quais aspectos devem ser aperfeiçoados é o caminho para o autodesenvolvimento.

2. Estratégia

Depois da etapa do autoconhecimento, é hora de criar uma estratégia de desenvolvimento. Qual o seu estágio atual? Quais são os objetivos, prazos e etapas a serem vencidas? Como está o mercado e quais as tendências futuras para o seu segmento?

Pensar em desenvolvimento de carreira abrange identificar que tipo de líder é você. Diferentes tipos de liderança atraem áreas e empresas distintas, e descobrir seu tipo ajudará a desenhar sua estratégia futura.

Quais serão as ferramentas necessárias para alcançar seus objetivos? É preciso pensar em qualificação, coaching, especialização no exterior —  ou seja, onde e como você pode conseguir o que precisa. Na maioria das vezes as respostas estarão mais próximas do que você pode imaginar.

Programas de desenvolvimento podem ajudar a diminuir o tempo necessário para vencer algumas etapas. Esse aspecto tem evoluído muito nas organizações e, atualmente, a construção e o acompanhamento das métricas de RH têm se tornado mais rápidas e efetivas.

Engajamento, retenção de talentos, motivação e análise de perfil comportamental são alguns avanços possíveis por meio da tecnologia e da aplicação de técnicas que permitam alocar as pessoas certas nas funções corretas.

3. Inteligência emocional

A inteligência emocional é determinante no sucesso profissional, com influência maior que o quociente intelectual. Profissionais brilhantes, mas sem equilíbrio, não encontram mais tanto espaço nas corporações, onde emergem o trabalho em equipe e a cooperação.

Dentre as competências importantes a serem desenvolvidas, a resiliência desponta como necessidade primária. A capacidade de sofrer pressões e golpes, resistir e depois retornar ao estado original, ainda mais forte e preparado que antes, já é uma das características procuradas pelas melhores empresas.

Conquistar resiliência no trabalho não é fácil, mas é gratificante. Ao perceber que sua capacidade de suportar pressões é maior que há alguns anos, é grande a satisfação por ter evoluído como pessoa e como profissional.

O desenvolvimento de habilidades comportamentais aumenta a performance por vários motivos. O trabalho em equipe tem maior fluidez, o tempo gasto com administração de conflitos tende a cair a níveis próximos de zero e, em paralelo, o investimento em brainstorming produtivo proporcionará motivação e ganhos em escala.

É impressionante como as equipes são contagiadas por atitudes de pessoas emocionalmente equilibradas. Com foco no que interessa ao time e à organização, essas pessoas impulsionam a equipe na direção certa, rumo ao sucesso e aos objetivos estabelecidos.

4. Network

Somos seres relacionais e não podemos fugir disso. As relações têm grande importância em nosso desenvolvimento de carreira, em virtude das influências, compartilhamento de conhecimento, experiências e do suporte recíproco.

Construir network saudável e de qualidade é agradável, além de permitir trabalhar a timidez — se for o caso, melhorando inclusive sua inteligência emocional. O marketing pessoal deixou de ser um diferencial para se tornar necessidade. Aliás, marketing e gestão de RH vêm se tornando parceiros em empresas de ponta há tempos.

Relacionamentos de qualidade compartilham informações importantes, atualizações, oportunidades, tendências e tecnologias. Sem mencionar que cada um de seus contatos tem outros contatos de mesmo nível ou superior, que podem se incorporar à sua rede.

A diversidade de ideias e pontos de vista, característica básica do network, consegue enriquecer o profissional, expandindo horizontes, trazendo novas formas de pensar e fazer as coisas acontecerem.

5. Foco em você

Você é protagonista de sua carreira. É sua responsabilidade e só depende de você determinar quais os rumos e objetivos que sua carreira deverá atingir.

Claro que, passando pelo processo do autoconhecimento e trabalhando seus pontos de melhoria, suas habilidades tenderão a aumentar, assim como sua autoestima. Nesse estágio, o planejamento tende a fluir com mais facilidade e clareza, assim como a definição das ferramentas necessárias à jornada.

Uma vez desenvolvida a inteligência emocional, o equilíbrio será fator determinante para aumentar a segurança nas decisões e consequentemente sua precisão.

Manter o foco nas circunstâncias e encontrar justificativas para os percalços tão comuns na vida profissional não levarão a lugar algum. Já o caminho a ser construído por meio do autoconhecimento, da estratégia, do desenvolvimento da inteligência emocional e do network, poderá te levar onde você determinar.

Um sonho deixa de ser sonho quando o transformamos em visão, por meio de ações corretas e bem planejadas.

Ficou com alguma dúvida sobre como o fato de assumir o protagonismo de sua vida profissional pode ajudar no desenvolvimento de carreira? Deixe suas impressões nos comentários!

 

Junte-se a nós e receba conteúdos e dicas incríveis para ter sucesso em seus negócios

Fale com a gente.