Falta de budget para RH: Como remover essa barreira?

2 semanas atrás - por: Fernanda Fuhrmeister

Compartilhe:

A falta de budget para RH é um verdadeiro problema. Sem o orçamento adequado, fica difícil investir em novas tecnologias, aprimorar os processos de gestão de pessoas e tornar o RH mais funcional. A grande questão é: como remover essa barreira?

O ideal é fazer uma exposição estratégica de argumentos à diretoria para mostrar a importância do orçamento para RH. Aqui, será necessário levantar pesquisas, estudos de caso e indicadores de desempenho. Com isso, será possível comprovar que o budget maior é benéfico para toda a empresa — e não apenas ao setor.

Neste post, reunimos tudo o que você precisa saber sobre o assunto e 6 dicas que vão te ajudar a acabar com a falta de budget para RH. Continue a leitura e confira!

Defina o orçamento ideal para a gestão de pessoas

O primeiro passo é definir o orçamento adequado, isto é: quanto o setor precisa para realizar suas atividades diárias e ainda investir em melhorias. A constatação deve partir de uma análise criteriosa do quanto é gasto hoje, considerando: contratações, desligamentos, campanhas de incentivo, programas de desenvolvimento etc.

Nem sempre o atual orçamento suporta o que se tem para fazer — muito menos o que se planeja para o futuro. Por essa razão, também é preciso calcular o orçamento ideal, ou seja, quanto o RH precisa para atuar com maior desempenho. Considere: tecnologias de ponta, processos de atração e retenção de talentos, onboarding, entre outros.

A diferença entre o orçamento atual e o ideal é o acréscimo financeiro, que conta com números reais para fundamentar o pedido de aumento do budget.

Em seguida, é necessário levantar argumentos convincentes e fazer uma ótima apresentação.

Levante pesquisas que indiquem a importância do RH

Uma boa gestão de pessoas contribui para melhorar a performance da empresa e otimizar as receitas, além de atrair e reter novos talentos. Hoje, há uma série de pesquisas que corroboram com essa afirmação e certamente podem ser usadas para subsidiar sua apresentação. Separamos algumas das principais:

  • segundo matéria da Harvard Business, empresas com boas práticas de RH têm, em média, desempenho 51% superior no mercado;

  • pequenas e médias empresas que investem no bem-estar da equipe são até 86% mais produtivas e 70% mais rentáveis, segundo pesquisa;

  • por conta do mau atendimento, em 2015, 86% dos consumidores migraram para a concorrência (isto é, por conta de funcionários sem treinamento);

  • de acordo com a Towers Watson, empresas com uma Comunicação Interna (CI) eficaz tiveram 47% a mais de retorno total aos acionistas;

  • ao entrevistar 41 mil empregadores, a ManpowerGroup descobriu que 38% têm dificuldade em encontrar mão de obra. O Brasil está entre os cinco piores países da lista. Logo, é crucial investir na atração e retenção de talentos.

Essas são algumas informações mais genéricas, mas você pode levantar dados mais específicos, condizentes ao seu setor de atuação. Uma boa dica é usar trabalhos acadêmicos atuais e confiáveis. Para isso, o Scholar Google pode ser uma ótima opção.

Busque por estudos de caso na gestão de pessoas

Você certamente já ouviu muitos casos que refletem a importância de investir na gestão estratégica de pessoas. Diferente das pesquisas, que apresentam dados e percentuais, os estudos de caso oferecem uma visão mais qualitativa e complementar à apresentação, podendo deixá-la mais atraente.

Você pode falar da cultura employee-centric Starbucks, que coloca os funcionários em primeiro lugar e acredita que essa é a medida para o sucesso. Hoje, a rede de cafeteria é a que mais cresce em todo o mundo, já consolidada em seu mercado. Ou da marca empregadora da Ambev, que já registrou mais de 2 mil candidatos por vaga de trainee.

A verdade é que não faltam ótimos exemplos, inclusive nacionais. Portanto, busque por casos que estejam alinhados com o que quer fazer na sua empresa, mostrando a importância de um maior investimento para a performance de toda a organização.

Tenha o cálculo do ROI na ponta do lápis

Verdade seja dita: muitos executivos realmente querem saber sobre o Retorno Sobre o Investimento (ROI). Isso não é ruim, pois parte do trabalho dos executivos é medida pelo retorno econômico que consegue gerar, afinal, esses profissionais precisam prestar contas aos investidores. Portanto, aproveite para falar a mesma “língua”.

Para ficar claro, o ROI indica o potencial de retorno do investimento e subsidia decisões mais estratégicas. Com esse indicador de desempenho, é possível fazer análises preditivas e identificar o que apresentará um maior retorno no futuro. Seu cálculo é muito simples, basta usar a seguinte fórmula:

  • ROI (em %) = (ganho obtido / valor do investimento inicial) / valor do investimento inicial x 100

Em geral, quanto maior for o ROI, melhor será. Existem outros indicadores de RH que podem ser usados para demonstrar o ganho de aumentar o budget. Por exemplo, o cálculo do turnover, do absenteísmo e da produtividade diária. Todos têm um forte impacto sobre o lucro líquido e, portanto, sobre o crescimento do empreendimento.

Implemente projetos alinhados aos problemas do negócio

Reflita sobre a seguinte questão: como o RH pode ajudar a resolver, por meio de suas práticas, a dor do CEO? Aqui, a gestão de pessoas deve ser vista como um meio para o fim — e não o fim em si mesmo. Em outros termos, deve ser uma ferramenta capaz de resolver os problemas do negócios e ajudar no crescimento sustentável.

Portanto, reflita sobre projetos com esse alinhamento. Se o problema é a elevada evasão de clientes, por exemplo, um programa de qualificação e motivação pode ser uma ótima proposta. Por outro lado, se o problema está na falta de produtividade diária, um programa de meritocracia e metas agressivas pode ser a solução.

Ao encontrar bons projetos — capazes de servir como um meio para o fim —, você certamente terá mais chances de obter o budget desejado. Além disso, poderá mostrar que o RH contribui para solucionar os problemas do empreendimento. No entanto, tome cuidado, pois alguns projetos são interessantes, mas não resolvem os problemas da empresa.

Apresente de maneira ágil e eloquente

A última dica é para o momento da apresentação à diretoria. Não pense que reuniões ou apresentações longas são mais eficientes. O tempo de concentração do ser humano — e isso certamente inclui os executivos e diretores — é baixo. É por isso que as palestras do TED Talks, mundialmente conhecidas, duram entre 10 e 30 minutos.

Portanto, crie uma apresentação ágil e eloquente, com gráficos fáceis de entender e palavras-chave que resumam sua ideia. O objetivo é facilitar o entendimento dos executivos, e não tornar a tarefa ainda mais difícil. Se você ainda não tem experiência com o assunto, aproveite para treinar a apresentação repetidas vezes até o grande dia.

Agora que você está por dentro do assunto, lembre-se que será preciso aplicar de maneira eficiente os novos recursos obtidos. Com isso, poderá garantir ótimos resultados a toda a empresa e conseguir novos investimentos no futuro. Para tanto, aposte na modernização, no monitoramento dos resultados e no planejamento estratégico.

Gostou do nosso artigo? Sabe como superar a falta de budget para RH? Então aproveite para continuar aprendendo conosco e leia nosso outro artigo: “Coaching para RH: entenda a importância desse acompanhamento”. Bons estudos!

Por: Fernanda Fuhrmeister

Diretora de Customer Success na Grou, psicóloga e empresária. Sua missão é impactar positivamente pessoas e empresas através de tecnologias inovadoras para Gestão de Pessoas.

posts do autor

Junte-se a nós e receba conteúdos e dicas incríveis para ter sucesso em seus negócios

Fale com a gente.