Por que alinhar cultura organizacional com os valores pessoais?

1 ano atrás - por: Redator Grou

Compartilhe:

As empresas empregam esforços para definir de forma rápida a cultura organizacional e acabam ignorando que não basta apenas defini-la. É preciso incentivar, participar, compartilhar, treinar, oferecer o suporte necessário e, principalmente, repetir esse processo rotineiramente, como um esforço de educação corporativa para alinhar os valores pessoais com os valores organizacionais.

A incapacidade de garantir valores compartilhados gera um negócio pouco eficiente, em que os colaboradores permanecem em conflito com decisões de gerenciamento, manifestando um baixo desempenho e até mesmo problemas comportamentais que prejudicam toda a rede de relacionamento da organização.

Para entendermos melhor como a cultura organizacional e os valores pessoais interferem no desempenho dos negócios, vamos elencar alguns fatores que devem ser compreendidos e acompanhados pelo setor de RH da empresa. Confira:

A importância de alinhar cultura organizacional com os valores pessoais

Quando os valores pessoais estão desalinhados com os valores da empresa, a organização passa por uma série de problemas, que vão desde a falha na produção ou entrega de serviços até o mau relacionamento com os clientes.

E ainda, muitas vezes, a divergência de valores é o principal motivo para o encerramento de um vinculo profissional, seja por parte da organização ou do colaborador. Além disso, uma má comunicação dos valores organizacionais gera falta de motivação, impactando o rendimento da empresa como um todo, o que gera mais custos.

O alinhamento de valores com a visão e ação da empresa

O alinhamento de valores com a visão e ação da empresa é muito importante para um planejamento eficiente, para a solução de questões internas e para a liderança, já que as empresas são compostas por pessoas que trazem para dentro do negócio seus valores pessoais, desejos e objetivos.

A cultura organizacional também é construída por essas pessoas, que devem zelar pelo bom convívio entre equipes e a entrega dos trabalhos. Contudo, sem a intermediação do RH nesse processo e sem a definição de uma base sólida que norteie a cultura organizacional, ela se torna frágil e desalinhada à estratégia da empresa.

Em uma cultura organizacional sólida, as ações e resultados dos colaboradores são pertinentes com suas estratégias e objetivos pessoais. Esses objetivos, por sua vez, são alinhados com a cultura e a missão da organização. Ou seja, existe uma equiparação entre os valores organizacionais e pessoais que asseguram um melhor desempenho, como baixo índice de rotatividade, cultura empresarial forte, aumento no desempenho individual e, consequentemente, aumento da performance da organização.

Os níveis de cultura organizacional

As instituições que não conseguem alinhar os valores dos funcionários com a cultura organizacional têm uma cultura fraca. Os colaboradores de empresas com cultura fraca não são comprometidos com os objetivos do negócio, e a organização passa a exercer controle sobre os funcionários por meio de procedimentos extensivos e burocráticos.

As culturas organizacionais fracas também resultam em atitudes e questões comportamentais que impedem o desenvolvimento da empresa.

Empresas com um alto nível de valores compartilhados possuem uma cultura forte e, por isso, conseguem boas performances, já que os funcionários se identificam com o negócio, respondem às iniciativas organizacionais com um senso de propriedade e permanecem motivados.

Assim, empresas com cultura organizacional evoluída incentivam as pessoas a trabalharem seu pleno potencial, valorizando qualidade, criatividade em vez de conformidade e cooperação em vez de competição. Mais uma vez, o sucesso dessa cultura depende do alinhamento dos valores compatíveis com os colaboradores.

Esse alinhamento é importante porque os valores compartilhados geram confiança, vinculam a força de trabalho e fornecem uma identidade única para a empresa.

O papel do RH na cultura organizacional e alinhamento de valores

Tão importante quanto estabelecer uma cultura organizacional bem definida é criar condições para atrair as pessoas certas para compor o quadro de funcionários. Ter profissionais de Recursos Humanos comprometidos com os processos de recrutamento e seleção, contratações e rotinas que aproximem os candidatos da empresa é essencial para que a cultura organizacional seja estabelecida.

Os esforços para a construção de um plano de treinamento e desenvolvimento, o fortalecimento da comunicação interna, a capacitação da liderança e a manutenção de um clima organizacional saudável também contribuem para a sustentabilidade de uma cultura organizacional forte, facilitando, assim, o alinhamento dos valores pessoais dos colaboradores com a organização.

Vale lembrar que a transparência, assim como o cuidado e o respeito, são elementos básicos para uma cultura organizacional nos dias de hoje, que precisa estar em sintonia com os valores pessoais dos talentos internos e que a empresa deseja atrair.

A resiliência e o autoconhecimento na construção de uma cultura organizacional forte

O autoconhecimento é fundamental para o posicionamento de valores pessoais, assim como a resiliência.

Autoconhecimento é o conhecimento que a pessoa possui sobre si, é como ela vê seus limites e capacidades. A partir disso, conhece seus valores individuais, objetivos e interesses. Com um bom autoconhecimento, a pessoa conquista mais segurança e, assim, pode torna-se mais resiliente.

A resiliência, por sua vez, é a capacidade de uma pessoa voltar ao seu estado normal após passar por momentos conturbados e fora do comum, sendo uma característica muito almejada pelas organizações.

Uma pessoa que alinha autoconhecimento e resiliência estará pronta para relacionar seus valores pessoais com os da organização e, comparando-os a uma pesquisa de mercado, descobrirá quais os valores pessoais podem ser ajustados à empresa em que deseja trabalhar.

Sabendo que alguns desses valores serão diferentes dos valores da empresa, é possível buscar o alinhamento e complementariedade entre eles, usando o autoconhecimento e a resiliência para chegar a um equilíbrio que ajudará no desenvolvimento da carreira profissional.

Ao conquistar a coerência entre os valores pessoais e organizacionais, o profissional estará mais próximo do sucesso individual e terá mais êxito nas suas atividades organizacionais. Consequentemente, a empresa ganhará em efetividade de mão de obra. Assim, o equilíbrio entre a cultura organizacional e os valores pessoais deve ser uma prática constante, a fim de se buscar o êxito tanto da empresa como do indivíduo.

Entendeu a importância de alinhar os valores pessoais e a cultura organizacional? Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Aproveite para deixar um comentário!

 

Por: Redator Grou

Especialista em Recursos Humanos e Gestão de Pessoas. Ama o mundo corporativo, tecnologias e está sempre antenado as tendências de mercado.

posts do autor

Junte-se a nós e receba conteúdos e dicas incríveis para ter sucesso em seus negócios

Fale com a gente.