Como uma ferramenta de análise comportamental pode ajudar?

3 meses atrás - por: Fernanda Fuhrmeister

Compartilhe:

Cada pessoa tem um perfil comportamental diferente, tendo em vista seus valores, cultura e também o meio em que vive. Entender os diversos perfis e encontrar posições dentro do ambiente corporativo no qual esses profissionais melhor se encaixem é o desafio de qualquer setor de gestão de pessoas. Nesse sentido, uma ferramenta de análise comportamental pode ajudar muito.

Isso porque fazer uma análise comportamental é uma maneira de identificar competências predominantes e importantes para cada cargo. Quer saber mais sobre essa ferramenta de análise comportamental? Então, continue a leitura!

O que é uma ferramenta de análise de perfil comportamental e qual seu objetivo?

Esse recurso tem como objetivo fazer um mapeamento do perfil dos profissionais de uma organização, para entender quais são as principais competências desses colaboradores. Dessa forma, será possível alocá-los melhor, considerando seus pontos fortes dentro do ambiente corporativo.

Como um dos maiores erros no ambiente de trabalho é a má locação — que gera a falta de engajamento e de realização profissional —, o objetivo da ferramenta de análise comportamental é, justamente, preencher essa lacuna. Assim, ela propicia o autoconhecimento, em consequência às devolutivas dos resultados da análise de perfil.

A maioria das pessoas não costuma submeter-se a nenhum tipo de exercício para um automapeamento, ignorando processos como terapias, coaching ou até mesmo as próprias análises comportamentais. Assim, a ferramenta dá subsídio para que o profissional possa se entender melhor e se expressar a respeito do seu perfil. Consequentemente, ele pode evoluir.

Geralmente, as pessoas têm receio quando são convidadas a responder uma análise de perfil, acreditando ter um cunho avaliativo ou de reprovação, mas na verdade o objetivo principal do instrumento é identificar as fortalezas desse estilo comportamental e como utlizá-lo de forma mais efetiva e bem alocada no ambiente de trabalho.

É utilizar o autoconhecimento a favor de melhores escolhas e tomada de decisão, tanto da parte do profissional quando da empresa. 

A intenção é descobrir o que os profissionais têm de bom e quais são as competências que podem ser trabalhadas. Assim, eles terão a oportunidade de elevar a performance ou mesmo serem alocados para outros cargos. 

O que fazer após o diagnóstico de perfil?

Dependendo do projeto e do objetivo pelo qual a ferramenta está sendo utilizada, há diversas ações que podem ser tomadas com base nos diagnósticos para otimizar os resultados e abrir horizontes na gestão de pessoas das empresas.

As ferramentas fazem com que, posteriormente, se tenha um melhor entendimento sobre os profissionais que estão dentro da organização e quais são as necessidades de treinamento de uma equipe ou pessoa. A partir disso, são feitos os apontamentos de quais serão os próximos passos com base no mapeamento realizado.

Assim, com a ferramenta de análise comportamental, é possível fazer investimentos mais precisos nas capacitações e treinamentos de funcionários das empresas.

Algumas ferramentas já possuem extensões de desenvolvimento para que o profissional fique mais atento ao seu progresso individual após a realização do mapeamento. É um processo online que culmina na evolução do profissional e permite um acompanhamento diário.

Acompanhe 7 estudos que tornam os resultados de uma ferramenta de perfil comportamental mais rico:

1. Análise de perfil do profissional

Essa análise traz informações sobre como é o estilo comportamental do profissional de determinada área, quais são os principais pontos fortes do perfil, como motivar e como liderá-lo. Baseado nesse primeiro relatório, é possível fazer alguns dos estudos de compatibilidades que abordaremos a seguir.

2. Pessoa x cargo

Dentro da plataforma de análise de perfil comportamental são criados todos os cargos comportamentais da empresa e eles são compatibilizados de acordo com cada pessoa x cargo.

Isso gera um relatório de 0 a 100% do quanto o profissional é aderente a determinado cargo e quais os possíveis gaps de desenvolvimento em que se deve colocar esforços para se ter uma performance melhor. Pode-se optar também pela realocação.

3. Várias pessoas x cargo

Esse estudo geralmente é utilizado para situações de processos seletivos. Assim, caso tenham 10 candidatos, podem ser aplicadas análises de perfil nelas e, posteriormente, realizar sua compatibilização para o cargo. Isso gera um ranking de quem tem mais aderência a esse perfil de cargo.

4. Vários cargos x pessoa

Também é realizado sob o formato de ranking, mas com o objetivo maior de realocação. Tem-se uma pessoa com talento em que se quer saber em qual cargo sua entrega vai ser melhor. Assim, por meio desse estudo, pode-se ter uma visão mais eficiente sobre isso.

5. Análise de perfil x competências

Esse processo é feito utilizando 24 competências que podem ser compatibilizadas com o perfil do profissional gerado a partir da análise. Com isso, a empresa pode comparar o profissional com todas essas 24 métricas ou com algumas delas que são consideradas mais importantes para a organização. Os resultados são dispostos entre 0 a 100% de aderência.

6. Tendências grupais

São mapas de time que visam desenhar uma equipe ideal e, após ter as análises aplicadas, os resultados são verificados em conjunto.

Assim, é possível estudar se a equipe tem perfis homogêneos ou se são bem diferentes e, consequentemente, isso ajuda a pensar em quais são os mais adequados para se contratar, de modo a agregar conhecimento à equipe. Além disso, é possível também identificar necessidades de treinamento que essa equipe precisa.

7. Análise de perfil do líder x perfil do liderado

Por meio dessa via, é feita uma leitura de quais são as diferenças entre o profissional e seu gestor, e de que forma o líder pode ter uma abordagem mais efetiva com o liderado, de modo a melhorar o gerenciamento.

Por que vale a pena investir em ferramenta de análise comportamental?

O principal ponto para se investir em uma ferramenta de análise comportamental é a possibilidade de o RH trabalhar com dados.

Desse modo, as ferramentas de análise de perfil comportamental, e outras tecnologias, agem para tornar o RH um ambiente mais estratégico, apresentando dados para que as empresas possam usufruir de uma gestão de pessoas mais eficiente, o que colabora para os resultados da organização.

A recomendação é que a análise de perfil seja feita anualmente, para se ter informações recentes e fidedignas em relação às competências dos profissionais — e com ainda mais frequência, caso ele esteja passando por planos de desenvolvimento.

Como estratégia, é indicado que os RHs apliquem as análises antes e depois para acompanhar os esforços comportamentais do profissional. Assim é possível mensurar o quanto ele evoluiu. As análises geradas também abrem horizonte para o cruzamento com outras informações colhidas na empresa, como dados de resultados, desempenho, entre outros.

Se você gostou deste post sobre como uma ferramenta de análise comportamental pode ajudar, entre em contato conosco e conheça melhor as nossas soluções para a sua empresa!

Por: Fernanda Fuhrmeister

Diretora de Operações na Grou, Psicóloga e empresária. Nasceu no dia de São Francisco, naturalmente protetora e apaixonada pelos animais. Sua missão é impactar positivamente as pessoas, através de seu trabalho.

posts do autor

Junte-se a nós e receba conteúdos e dicas incríveis para ter sucesso em seus negócios

Fale com a gente.